Pular navegação

Category Archives: Viver

Sem prMinhocão abril/11 Photo: ck /sem assinaturaovocar mais atenção,

e mesmo com a possivel destruição,

ele ainda existe

e resiste.

Se o seu pulso ainda pulsa, existe uma salvação

Pra esse coração do Minhocão

Seu pulmão ainda que sangre,

inspira.

 

 

 

 

Minhocão abril/11/autor?/ Photo: ckesslan

 

 

 

 

Primeiro foram as interdições da propaganda, depois a lavagem dos pilares do minhocao, radical e friamente.

Hoje vejo o minhocão apagado, triste.

Ainda não entendi o processo dessa limpeza. Somente apagar? Pois, pelo que entendo, a limpeza do lixo é uma obrigatoriedade e não precisa ser anunciada.

Ha dias observo que homens da Operação cata lixo, acompanhados da Guarda civil, fazem a limpeza, lavam, tiram todo o lixo amontoado e  inclusive todos os objetos dos  habitantes que no minhocão vivem.

Eu vi, arrancam trapos e papelões que servem de cobertores e cama, com pessoas ainda dormindo e lavam o chão. De doer a alma.

Eu e varios passantes olhamos, estagnados, ok limpar, ok, lavar. Mas de que adianta essa limpeza ?

E as pessoas ? E os habitantes dessa larga cobertura que serve de abrigo ? Ninguém faz nada ?

Ninguém entende nada…Apoio de recuperação destes paulistanos, seria para mim a principal e a primeira das tarefas de « limpeza ».

Dizem que existem os abrigos, mas, em quais condições ? Me pergunto porque estas pessoas não aceitam tais abrigos. Essas pessoas precisam muito além do que um abrigo pra dormir.

Acredito que ainda se possa recuperar.

Não estamos em guerra, ainda, somos um povo de sorte e de paz, enquanto pelo mundo afora homens exercem seus podres poderes em grande escala, em nossa cidade, a desigualdade humana avança em pequenos atos.

A revitalização do centro da cidade deveria começar pelas pessoas. Tratando o humano, reeducando, criando oportunidades dignas de recuperação.

Da mesma maneira que fizeram com a arte, fazem pior ainda, com as pessoas.

Estamos falando de arte, estamos falando de gente como a gente.

O meu primeiro contato com a arte de rua surgiu de um trabalho da UAM, nos anos 90, com uma analise semiotica onde a fotografia era o tema, então fazendo as fotos fiquei maravilhada com as imagens. Naquela época, uma novidade dentro da faculdade, o que valia era o estudo sobre as fotos, não se discutia muito o grafite como arte. Ainda!

Desse tempo pra ca, a arte de rua evoluiu junto com as pessoas, lado a lado com a cultura da vida, ela progrediu e mostrou ao mundo que não veio do nada, ela veio de Jean Michel Basquiat, veio de Vallauri aqui no Brasil, entre outros. E a arte de rua se transformou numa enorme galeria de arte ao ar livre.  por um lado , se o mundo evoluiu tecnologicamente, a arte de rua acompanhou e evoluiu também.

Essa arte, hoje no Brasil, ultrapassa os limites da rua, além da presença fiel em muros de todo o mundo, ela se apresenta nas ruas , galerias, estampada em produtos,  apoiada por fundações de peso, como a Cartier, ela tomou formas e cresceu, e, definitivamente, foi pra faculdade.

Vingou tanto que hoje faz parte de um projeto de uma das mais importantes universidades do Brasil; que abriu um projeto chamado Parede Viva, un projeto de transformação das paredes da universidade em murais artisticos, criados por artistas de rua, entre tantos outros projetos espalhados pelo mundo.

O reconhecimento por ela é presente.

Porém, alguns ainda a consideram uma arte marginal, vulgar e suja. Uma pena para eles. Vejam o caso do Minhocão, apagaram tudo, pintaram tudo de beige. Particularmente para o Minhocão, espero que empresas como a Montana criem tecnologias rapidamente para grafites em paredes lavaveis.

E o que importa é que a essencia e a cultura da arte de rua não foram  apagadas.

Ao contrario, essa arte hoje, é graduada.

photo 2: Caio Antunes http://www.flickr.com/photos/paredeviva/page3/