Skip navigation

Tag Archives: Morador

 

Alguns traços, nenhuma cor, mais um rosto que passa a habitar o Minhocão.

Para muitos, um rabisco, para outros, um traço expressivo tenta mostrar  a realidade dos que ali vivem. Simples assim, quase nu e portanto cheio de vida.

Primeiro foram as interdições da propaganda, depois a lavagem dos pilares do minhocao, radical e friamente.

Hoje vejo o minhocão apagado, triste.

Ainda não entendi o processo dessa limpeza. Somente apagar? Pois, pelo que entendo, a limpeza do lixo é uma obrigatoriedade e não precisa ser anunciada.

Ha dias observo que homens da Operação cata lixo, acompanhados da Guarda civil, fazem a limpeza, lavam, tiram todo o lixo amontoado e  inclusive todos os objetos dos  habitantes que no minhocão vivem.

Eu vi, arrancam trapos e papelões que servem de cobertores e cama, com pessoas ainda dormindo e lavam o chão. De doer a alma.

Eu e varios passantes olhamos, estagnados, ok limpar, ok, lavar. Mas de que adianta essa limpeza ?

E as pessoas ? E os habitantes dessa larga cobertura que serve de abrigo ? Ninguém faz nada ?

Ninguém entende nada…Apoio de recuperação destes paulistanos, seria para mim a principal e a primeira das tarefas de « limpeza ».

Dizem que existem os abrigos, mas, em quais condições ? Me pergunto porque estas pessoas não aceitam tais abrigos. Essas pessoas precisam muito além do que um abrigo pra dormir.

Acredito que ainda se possa recuperar.

Não estamos em guerra, ainda, somos um povo de sorte e de paz, enquanto pelo mundo afora homens exercem seus podres poderes em grande escala, em nossa cidade, a desigualdade humana avança em pequenos atos.

A revitalização do centro da cidade deveria começar pelas pessoas. Tratando o humano, reeducando, criando oportunidades dignas de recuperação.

Da mesma maneira que fizeram com a arte, fazem pior ainda, com as pessoas.

Estamos falando de arte, estamos falando de gente como a gente.

O Museu do Minhocão, depois da lavagem do grafite, abriu seu leque de opções para as outras coisas boas que abrigam, entornam e dão vida a essa serpente concreta de São Paulo.

Pois então, é fevereiro, tem carnaval, tem o fusca e o violão…

E quem disse que aqui não tem carnaval?

Vem que tem sim e Agora Vai!

O bloco « Agora Vai » foi criado por atores que depois de descobrirem  que o carnaval paulistano foi fundado em 1914, aqui na Barra Funda, resolveram então, usar suas fantasias e sair para as ruas.

O bloco cresce a cada ano e tem como passarela o velho, malvado e elevado, Minhocão!

Participe também, seguem os dados:

Ensaios: sextas, das 20 h às 23 h.

Endereço: Rua Marta, num boteco ao lado da padaria que fica na esquina com a Rua Tagipuru. Cortejo/saída do bloco: terça de carnaval. A concentração começa às 17 h, no mesmo lugar dos ensaios.

Encontros, ensaios, infos: http://blocoagoravai.zip.net/arch2010-03-07_2010-03-13.html

Photo: yahoo noticias